A surfar com o João Catarino

Uma oficina do João Catarino não se pode perder! Ainda por cima cá, no Chiado,  não no Brasil ou em Chicago!
Em cada proposta, em cada desenho, é inegável que todos passam por uma dose de sofrimento quase masoquista. Mas a verdade é que, a par desse sofrimento,  sabe muito bem tentar embarcar na onda do João Catarino. Enquanto ele faz floaters, cut backs , aéreos e360º, nós embicamos, enrolamo-nos, perdemos a prancha e engolimos pirolitos.
Mas a boa disposição do João é tão contagiante, que não deixa que os nossos fracassos  nos esmoreçam . Pelo contrário -  pelo menos para mim - a vontade de aprender aumenta. Talvez para a próxima, quem sabe, já me consiga  pôr de  pé na prancha!
esta foi a minha trapalhada:


No fim, uma banda instalou-se e muitos fomos os que nos sentámos , agora sim descontraidamente, a desenhá-la

E como achei  que tanto sofrimento  merecia ser recompensado, enviei um SMS aos meus filhos a desafiá-los para um gelado no Da Vero, no Largo de São Paulo.
Enquanto esperava pelo Vasco, pelo Luís, pelo João e pela Caetana fiz mais uma tentativa de cumprir a proposta  do grande Mestre Catarino.