As mãos...

Em Óbidos, Lluisote (não sei como se escreve) falou-nos sobre a importância das mãos e da sua expressividade no desenho. Propôs que desenhássemos as mãos de alguém, depois a cara, e no fim ligássemos tudo. depois, aqui com a pobre da Paula Cabral, que me deve estar a espetar alfinetes, o exercício era semelhante: 1ºmãos; 2º pés, 3º cara, e só no fim  ligar tudo. Foi no que deu...